Morre o evangelista americano Billy Graham aos 99 anos

Morre o evangelista americano Billy Graham aos 99 anos

Reverendo foi conselheiro de presidentes dos EUA e pregou para milhões de pessoas no mundo todo

21/02/2018 - 13:28 hs
Foto: (Pete Souza/The White House/Handout via REUTERS/File Photo)
Morre o evangelista americano Billy Graham aos 99 anos
Barack Obama, ex-presidente dos EUA, e Billy Graham durante encontro em Montreat, na Carolina

O evangelista americano Billy Graham, conselheiro espiritual de diversos presidentes que pregou para milhares de pessoas no mundo todo, morreu nesta quarta-feira (21) aos 99 anos.

William Franklin Graham Jr. morreu em sua casa em Montreat, na Carolina do Norte, de acordo com Jeremy Blume, porta-voz da Associação Evangélica Billy Graham.

Graças a seu carisma, Graham conseguiu atrair as massas, que o seguiam através de seus programas de rádio e televisão. Ele propagava sua mensagem também por linhas telefônicas e satélites.

Cerca de 77 milhões de pessoas o assistiram pessoalmente e outras 215 milhões viram seus discursos pela TV ou por links via satélite, disse um porta-voz.

O reverendo se tornou capelão não oficial da Casa Branca para todos os presidentes desde Harry Truman (1945-1953), além de ter se encontrado com diversos líderes mundiais.

Segundo a associação que leva seu nome, Graham pregou em 185 dos 195 países do mundo e converteu ao Cristianismo mais de 3 milhões de pessoas.

"Ele foi provavelmente o líder religioso mais importante de sua era", disse William Martin, autor de um livro sobre ele.

"Não havia ninguém como ele", afirmou o presidente Donald Trump em seu Twitter depois que a morte dele foi noticiada. "Ele fará falta aos cristãos e a todas as religiões. Um homem muito especial", escreveu.

O ex-presidente americano George H. W. Bush também comentou a morte de Graham, a quem classificou como um amigo pessoal e mentor de vários de seus filhos, incluindo do também ex-presidente George W. Bush. "Acho que Billy tocou os corações não só dos cristãos, mas de pessoas de todas as crenças, porque ele era um homem muito bom", afirmou.