Ex-tenista relembra violência que sofreu do pai ao longo da carreira

Jelena Dokic, de 34, lança biografia "Unbreakable", na qual revela detalhes das agressões sofridas em 13 anos, desde os seis: "Ele me batia com muita violência. Começou quando comecei a jogar tênis"

13/11/2017 - 18:14 hs
Foto: (Getty Images)
Ex-tenista relembra violência que sofreu do pai ao longo da carreira
Damir Dokic, pai de Jelena, fez da vida da filha um inferno com agressões diárias durante a carreira

O inferno de Jelena Dokic fora das quadras começou logo no início de sua carreira no tênis. A ex-jogadora de 34 anos abriu o jogo sobre as agressões que sofreu do pai durante a sua trajetória no esporte. A ex-tenista revela mais detalhes em sua biografia que está lançando, batizada de "Unbreakable" - na tradução livre, "Inquebrável".

Jelena Dokic resolveu contar parte de sua história após a Federação de Tênis da Austrália divulgar uma nota afirmando se preocupar com o bem-estar da ex-tenista, que nasceu na Croácia, mas se naturalizou australiana. Foram 13 anos de abusos, desde que ela tinha apenas seis anos de idade. Em seu seu auge no tênis, Dokic alcançou o top 4 do ranking mundial. Ela lembra que chegou a ficar inconsciente quando o pai batia com mais força, mas que as agressões emocionais também doíam.

- Ele batia realmente com muita violência. Basicamente, começou quando eu comecei a jogar tênis. Desde então, não parou, entrando em uma espiral que saiu do controle - contou Jelena Dokic em uma entrevista ao "The Project", programa da rede de televisão australiana "Network Ten".

A ex-jogadora detalhou o drama vivido durante a carreira e o quanto sofreu nas mãos de Damir Dokic. Jelena contou que os abusos eram diários e tornaram-se algo "normal" em sua vida.

- Você chega em um ponto depois que isso acontece ao longo dos anos em que esta é apenas a sua vida no dia a dia e você aceito isso como algo, digamos, normal. É sobre isso que a minha vida é, é com isso que eu tive de lidar, literalmente, na minha rotina. Sempre havia algo, mesmo se não fosse relacionado ao físico, o que era raro. Sempre havia alguma coisa que eu não fazia do jeito certo - lembrou Jelena.

Quando ela perdia alguma partida, o castigo era certo. O pai já pegava o cinto, e Jelena sabia o que lhe esperava. Ao longo da carreira, Jelena tentou se concentrar apenas no tênis e garantir que o dinheiro estava caindo na conta.

- Era difícil porque eu estava crescendo. Eu tinha 17, 18 anos, e (a violência) não parava. Eu sabia que ele estava motivado pelo dinheiro. Eu constantemente tentava jogar bem e ganhar mais, mas não era o suficiente. Eu estava realmente quebrada por dentro e era muito difícil para mim jogar em um esporte profissional e tão brutal - acrescentou.